Santuário de Santa Luzia

Photo 1
Photo 1
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
Localiza-se no alto do monte de Santa Luzia, na freguesia de Santa Maria Maior, na cidade, concelho e distrito de Viana do Castelo, Norte de Portugal
 
O Templo assumindo-se como o "ex libris" e cartão-de-visita da cidade de Viana do Castelo, do alto descortina-se uma vista ímpar da região que concilia o mar, o rio Lima com o seu vale, e todo o complexo montanhoso envolvente, panorama considerado o 3º melhor do mundo segundo a National Geographic (1927).

O visitante pode subir ao Monte de Santa Luzia de funicular (elevador), de viatura ou através do escadório, e a partir daqui pode ver-se o rio e uma grande parte da orla marítima, e a verdejante serra.

O templo apresenta planta na forma de cruz grega com elementos em estilo neo-romântico, neo-gótico e bizantino num gosto eclético e revivalista que marcou a viragem de século.

O modelo foi importado de França, local de aprendizagem do arquiteto Ventura Terra, e deve-se a ele a construção deste Santuário em 1899.

A construção deste templo dedicado a Santa Luzia e ao Sagrado Coração de Jesus teve início em 1904, estendendo-se até 1959, e a autoria é do arquiteto Miguel Ventura Terra, tendo-lhe sucedido o arquitecto Miguel Nogueira, após o falecimento do seu mestre em 1919.

A tipologia arquitetónica é de inspiração românico-bizantina, integrando-se na arquitetura revivalista que marcou a viragem de século, e as suas imponentes rosáceas são as maiores da Península Ibérica e as segundas maiores da Europa.

No zimbório tem que subir muitas escadas até o topo, e a última escada em espiral é extremamente estreita e alta, mas ao chegar ao cimo pode observar uma vista deslumbrante sobre a região considerada como uma das melhores do mundo.

Ao entrar em Viano do Castelo avista-se este espantoso monumento no alto da colina, o caminho até lá de carro é bom e há estacionamento gratuito, mas existem também funiculares ou escadas que podem ser usados ??por pessoas mais jovens.

Os vitrais das rosáceas foram executados em Lisboa, na oficina de Ricardo Leone, e as rosáceas que os emolduram são as maiores da Península Ibérica.

Os frescos que representam a Paixão e a Ascensão de Cristo na cúpula são da autoria de Manuel Pereira da Silva.

Os dois querubins no altar-mor são de autoria do escultor Leopoldo de Almeida, e foram executados em mármore de Vila Viçosa pelos mestres Emídio Lima e Albino Lima.

O Coração de Jesus localizado ao centro do altar-mor foi realizado sob modelo da estátua em bronze do escultor Aleixo de Queiroz Ribeiro, executada pelo mestre Lima com supervisão do escultor Martinho de Brito.

Os três altares (o principal e os dois laterais) em granito magnificamente trabalhado foram esculpidos por Emídio Lima, assim como os dois púlpitos.

Na fachada principal do templo destaca-se uma estátua do Sagrado Coração de Jesus em bronze de autoria do escultor Aleixo de Queiroz Ribeiro datada de 1898, sendo esta anterior ao próprio edifício.

A escassos metros de distância encontram-se situadas as ruínas da cidade velha de Santa Luzia ou citânia de Santa Luzia e o Hotel de Santa Luzia.