Museu de Artes Decorativas

Photo 1
Photo 1
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
Localiza-se no Largo de São Domingos, Cidade e concelho de Viana do Castelo, Norte de Portugal
 
O Museu foi aberto nas Festas da Senhora d’Agonia de 1923, tendo sido noticiado no jornal Aurora do Lima de 17 de Agosto de 23: “Exposição de pintura: Amanhã é inaugurado o Museu Regional, instalado na «Casa das Figuras» hoje propriedade da Câmara Municipal, no largo de S. Domingos.

Nos primeiros anos do museu foram expostas peças arqueológicas sobretudo recolhidas nas escavações da citânia de Santa Luzia como as varas de vereadores, o aferidor de medidas da alfândega, e outras como as pedras de armas.

Juntamente com O Museu ficou instalada a biblioteca até ao ano de 1966.

Alguns coleccionadores como Luís Augusto Oliveira e Serafim Neves se encarregam cada um de uma sala que fica com o seu nome, e onde expõem peças da sua colecção pessoal e iniciando assim um segundo período da vida do Museu.

O Museu de Artes Decorativas está instalado num solar urbano situado no largo de São Domingos onde também fica a Igreja do convento da mesma evocação mandado construir pelo Santo Frei Bartolomeu dos Mártires.

O Edifício foi mandado construir em 1724 pelo cónego António Felgueiras Lima e nele ficava hospedado o arcebispo de Braga D. Rodrigo de Moura Teles quando se deslocava a Viana para tomar banhos na praia.

Mais tarde foi comprada pela família Barbosa Teixeira Maciel ficando conhecida pela Casa dos Barbosa Maciel.

O edifício é constituído por linhas barrocas, embora com elementos clássicos, como são os frontões triangulares que encimam as janelas.

No interior do edifício, para além da escadaria de acesso ao piso nobre, um conjunto de três salas com rodapés de azulejos azuis barrocos historiados representando cenas galantes, cenas de caça e uma sala com um excepcional conjunto de painéis que representam as quatro partes do mundo (Europa, Ásia, África e Américas) demonstrando como Viana foi uma terra virada para o mundo e receptiva ao encontro de outras culturas.

O edifício original tem ainda uma pequena capela com um magnífico retábulo de talha Barroca e as paredes decoradas por azulejos assinados pelo mestre Policarpo de Oliveira Bernardes.

Em 1993 foi acrescentada uma ala nova ao museu, da autoria do arquiteto Luís Teles (que recebeu uma menção honrosa no Prémio Nacional de Arquitetura) com Galeria para exposições temporárias, reservas e gabinetes de trabalho e auditório que permitiu o desenvolvimento de uma atividade museológica mais consistente.

O Museu de Artes Decorativas de Viana do Castelo possui a maior e mais diversificada colecção da chamada "baixela azul" portuguesa dos séculos XVII e XVIII, a mais importante colecção de faiança portuguesa dos séculos XVIII e XIX, e possui também um precioso acervo de móveis indo-portugueses e diversos móveis dos séculos XVIII e XIX.