Home > valença 

Ponte Internacional Tui-Valença

Photo 1
Photo 1
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
A Ponte Internacional de Tui-Valença é uma infraestrutura rodo-ferroviária do Ramal Internacional de Valença que cruza o Rio Minho na fronteira entre Portugal e Galiza
 
A Ponte Internacional Tui-Valença ou Ponte Metálica fica sobre o Rio Minho que liga Valença a Tui.

A Ponte Rodo-Ferroviária Internacional constitui um importante sinal de progresso deste concelho que durante alguns anos viu o comboio terminar em Segadães.

No ano de 1879 é que os governos de Portugal e Espanha chegam a acordo para a construção desta importante via de ligação bifuncional (ferroviária e rodoviária).

A Ponte Internacional Tui-Valença inaugurada em 25 de Março de 1886 é um projecto do engenheiro espanhol D. Pelayo Mancebo Y Agreda.
História da Ponte Internacional Tui-Valença
 
O projecto faz uma ligação ferroviária internacional na Galiza data de 1856 quando o rei D. Pedro V defendeu a construção de um caminho de ferro a começar na Linha do Leste, então em planeamento e a terminar em Vigo passando pela cidade do Porto uma vez que com este traçado ficaria mais próximo da fronteira com França do que a passagem por Badajoz.

No ano de 1867 o governo apresentou vários projetos para ligações ferroviárias incluindo uma a partir do Porto que iria ligar a Espanha pelo Minho.

O troço até Valença da Linha do Minho foi inaugurado em 6 de Agosto de 1882 e a estrutura começou a ser construída em 1882 tendo sido inaugurada em 25 de Março de 1886 como parte do Ramal Internacional de Valença e foi projectada pelo arquitecto espanhol Pelayo Mancebo tendo os custos de construção sido divididos entre os governos Português e Espanhol.

Nos finais da década de 1980 a ponte era atravessada por composições de mercadorias rebocadas por locomotivas da Série 308 da operadora Red Nacional de Ferrocarriles Españoles e as únicas locomotivas permitidas para atravessar a ponte devido ao seu reduzido peso por eixo.

No ano de 1986 deu-se uma cerimónia de comemoração do centenário da inauguração desta ponte.

No ano de 2011 o alcaide de Tui ameaçou bloquear a circulação na Ponte caso a operadora Comboios de Portugal decidisse suspender o Comboio Internacional Porto-Vigo como tinha sido anunciado.

A Rede Ferroviária Nacional adjudicou à empresa Teixeira Duarte uma empreitada para a reabilitação e reforço das fundações desta ponte num prazo de 365 dias (19 de Dezembro de 2011).

Os objectivos desta intervenção eram garantir que a infraestrutura ficasse com uma resistência longitudinal necessária para as obras, prevenir que futuros trabalhos de infraescavação colocassem em risco a estabilidade das fundações, reforçar a base dos pilares e estabilizar o solo das fundações especialmente as submersas.

Na reabilitação de quatro pilares e de alvenarias substituição de todos os aparelhos de apoio, reabilitação e reforço dos encontros e instalação de equipamentos de controlo dos movimentos longitudinais e a intervenção foi considerada de rotina sendo uma das obras que são efectuadas periodicamente com um intervalo de cerca de 50 anos.

A realização destas obras que começaram em Abril de 2012 foi necessário interditar a circulação automóvel no tabuleiro inferior durante um período previsto de cinco meses.
Características da Ponte Internacional Tui-Valença
 
A ponte é composta por uma superestrutura em viga metálica de treliça de rótula múltipla com cinco tramos contínuos e com 318 metros de comprimento cruza o Rio Minho tendo dois tabuleiros, um superior para a via férrea e um inferior para uso rodoviário.

A ponte é propriedade conjunta das empresas Rede Ferroviária Nacional, Estradas de Portugal, Administrador de Infraestructuras Ferroviarias e Dirección General de Carreteras.

A Ponte Internacional Tui-Valença constituída por dois tabuleiros metálicos sobrepostos com 400 metros de comprimento assentes em quatro pilares de granito, o caminho-de-ferro circula no tabuleiro superior da ponte estando o piso inferior reservado ao tráfego rodoviário e pedonal.

Espaço de fronteira e de confluência, durante décadas, esta Ponte Metálica simbolizou um importantíssimo elo de ligação (histórica, económica e social) entre o Norte de Portugal e a Galiza que vai ser, deste modo, reforçado a partir de finais do século XIX.

Atualmente mantêm-se as ligações ferroviárias internacionais diárias desde o Porto até à cidade espanhola de Vigo e a Ponte Internacional vai assumir um papel muito relevante no desenvolvimento de Valença ao longo do século XX.