Home > peniche 

Monumento à Rendilheira

Photo 1
Photo 1
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
Localiza-se no Jardim do Baluarte, Cidade de Peniche, Distrito de Leiria, Centro de Portugal
 
O Monumento de homenagem à Rendilheira - Cidade de Peniche é uma homenagem às rendilheiras de Peniche, cidade tradicionalmente ligada às rendas de Bilro desde o século XVII e todos os anos o município de Peniche celebra o Dia da Rendilheira (15 a 18 de Julho).

No passado os homens dedicavam-se à pesca e à lavra dos campos, mas as mulheres ajudavam na salga (transformação e armazenamento do pescado), entretinham-se à porta de casa a rendilhar delicadas e alvas peças de renda de bilros de Peniche complementava o pequeno rendimento obtido no trabalho árduo da pesca.

As rendas de bilros são o verdadeiro ex-libris do artesanato penichense tem origem no séc. XVII em que se conhecem os primeiros documentos aludindo a esta arte.

Na segunda metade de séc. XIX assiste-se ao apogeu artístico e técnico das rendas de bilros de Peniche, por volta de 1865 existiam oito oficinas particulares onde as crianças a partir dos quatro anos iniciavam-se na produção desse artesanato.

A Escola de Desenho Industrial Rainha D. Maria Pia, criada em 1887 (Escola Industrial de Rendeiras Josefa de Óbidos) com destaque para Maria Augusta Bordalo Pinheiro que incentivou o ensino da renda de bilros com desenhos artísticos inovadores e formação de alta qualidade.

Atualmente as rendas de bilros de Peniche podem ser aprendidas e aperfeiçoadas na Escola Municipal de Rendas de Bilros que acolhe de segunda a sexta-feira jovens dos 6 aos 90 anos.

O Monumento à Rendilheira é um monumento em Peniche situado em Peniche perto da Santa Casa da Misericórdia de Peniche.

Os utensílios e técnicas utilizadas como as linhas, alfinetes e bilro (pequeno instrumento cilíndrico fino geralmente em madeira), rebolo (almofada), banco de Almofada, picadeira e alfinete de almofada.

O cartão (cartão depois de picado e com o desenho riscado) e Renda (trabalho obtido pelo cruzamento sucessivo ou alternado de fios têxteis (seda, linho, estopa, algodão, etc.) utilizando bilros sobre almofada própria.

O Cerzir (operação de coser solidamente com pontos miúdos, duas partes de renda de modo a que não se note a união) e Debuxo (adaptação do desenho a papel quadriculado, de acordo com a exigência técnica do respectivo ponto).

A escultura é feita com vários tipos de mármore apresenta uma mulher em tamanho grande a fazer o trabalho da renda de bilros que é o artesanato típico desta cidade.

A representação esculpida em pedra nobre mostra a atividade inicialmente usada pelas mulheres dos pescadores para nos dias em que o mar não permitia a ida à pesca ajudar no sustento das famílias.

A passagem do tempo tornou esta ocupação a renda de Bilros num símbolo para as mulheres de Peniche que com o aperfeiçoamento dos trabalhos efetuados se tornou um motivo para representar em Pedra As Rendilheiras de Peniche.

Nas freguesias do concelho ainda hoje as mulheres do campo se juntam para conviver ao mesmo tempo que fazem a sua renda de bilros.

O Monumento retrata bem a importância da renda de bilros que é feita em Peniche, arte que tem vindo a desaparecer e que os mais antigos teimam em preservar e ensinar a quem quer aprender esta arte lindíssima.

O monumento à rendilheira é a simples representação de uma arte de sobrevivência já que o reduzido produto monetário dessa arte constituía na maioria dos casos um complemento do orçamento familiar.

O Monumento para celebração das mulheres que ficavam em terra e ocupavam-se a rendilhar faz parte da cultura e história da cidade de Peniche.