Home > leiria 

A antiga Igreja e Convento de Santo Agostinho

Photo 1
Photo 1
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
Localiza-se na Rua Tenente Valadim, Largo da Infantaria, cidade e distrito de Leiria, no centro de Portugal
 
História da antiga Igreja e Convento de Santo Agostinho
 
A Igreja e o Convento foram mandados construir pelo bispo D. Gaspar do Casal, durante a segunda metade do século XVI (1577-79) e até à primeira metade do século XVII.

O Convento de Santo Agostinho foi fundado em 1577 por iniciativa de D. Frei Gaspar do Casal, bispo da diocese de Leiria, tendo sido edificada em primeiro lugar a igreja.

D. Frei Gaspar do Casal, segundo bispo de Leiria e eremita de Santo Agostinho, contrariando a opinião dos cónegos da sé nasceu assim um dos mais importantes complexos monásticos de Leiria dentro dos seus muros pudessem florescer as novidades reformistas dessa magna assembleia empenhada em proporcionar aos seus membros o estudo mais sistematizado (a criação do seminário diocesano em 1671 em área contígua ao convento é prova disso).

Nos dois anos seguintes, quando se iniciava a construção do complexo conventual estavam já concluídas a capela-mor, o cruzeiro e as primeiras capelas da nave.

No entanto, devido a divergências com o Cabido da Sé, as obras do convento arrastaram-se até ao primeiro quartel do século XVII.

No ano de 1671, o bispo D. Pedro Vieira da Silva criou o Seminário entregando a sua direcção à Ordem de Santo Agostinho no ano seguinte.

O complexo fora construído sobre a primeira fábrica de papel restando apenas parte da fábrica a Este da igreja até aos dias de hoje.

A fachada da igreja seria alterada durante a campanha de obras realizada na segunda metade do século XVIII, e alguns anos depois o Seminário era desanexado do convento.

No início do século XIX, entre 1803 e 1804, o espaço conventual seria reformado devido ao estado de ruína da sua estrutura e com a extinção das Ordens Religiosas, o convento passou a albergar um quartel e a igreja tornou-se capela regimental.

Na segunda metade do século XVIII a igreja sofreu algumas remodelações que conferiram o seu aspecto atual.

O convento foi entregue à ordem de Santo Agostinho, mas face à extinção das ordens religiosas em 1834 foi instalado um quartel militar no convento, bem como no antigo seminário (situado ao lado).

No século XX a igreja, convento e também o antigo seminários são devolvidos à diocese, sendo a igreja aberta ao culto religioso (1944 voltava a pertencer à diocese de Leiria).

Atualmente funciona o Museu de Leiria que foi alojado no antigo Convento de Santo Agostinho.

A traça arquitetónica do convento é espelho da erudição que deve inscrever este edifício nas rotas do maneirismo, embora venha no século XVIII a ser moldado pelo gosto barroco.

O convento de Santo Agostinho é uma das mais prolongadas marcas da ligação do território leiriense à figura do bispo de Hipona, assumindo a responsabilidade de que esta figura insigne do pensamento ocidental seja ainda hoje tomada como patrono da diocese de Leiria-Fátima.
Arquitetura da antiga Igreja e Convento de Santo Agostinho
 
A igreja é constituída por uma nave central e é de estilo essencialmente barroco como se pode observar na fachada central ladeada pelas duas torres.

A Igreja tem a típica forma de cruz com 3 corpos divididos por 3 pilares e o visitante pode encontrar o escudo do bispo fundador sobre a porta principal da igreja.

A igreja do convento de planta em cruz latina possui nave única, iluminada lateralmente por oito janelas e coberta por abóbada de lunetas, coro-alto assente em arco rebaixado, e três capelas laterais intercomunicantes, cobertas por abóbada de caixotões.

A capela-mor é coberta por abóbada de caixotões, possuindo retábulo em pedra de lioz, executado no início do século XX por Ernesto Korrodi.

A fachada principal do templo apresenta-se dividida em três corpos, definidos por pilastras rematadas por fogaréus.

Os corpos laterais, com janelas no primeiro e segundo registos, são prolongados por duas sineiras rematadas por coruchéus.

O claustro, de planta quadrangular, comunica com as dependências conventuais através do terraço do registo superior.

No primeiro registo, as alas, cobertas por abóbada de aresta, dividem-se em cinco tramos que abrem para o pátio através de arcos de volta perfeita.

O edifício do seminário de planta rectangular possui fachada principal sem decoração rematada nos cunhais por pináculos cujo único elemento de destaque é o portal principal com frontão encimado por pedra de armas do fundador, o bispo D. Pedro Vieira da Silva e sobre esta foi aberta a janela de sacada com guarda de ferro.

A estrutura original do Convento de São Agostinho da qual resistiu o interior do templo e o claustro demonstra um gosto ligado à arquitectura maneirista de raiz clássica que remete para a tratadística serliana aliada à austeridade chã que era explorada nas obras de carácter religioso.

No convento existem ainda alguns azulejos do século XVII e XVIII existentes nos claustros do convento (estilo barroco).

A igreja sofreu obras de restauração sendo de destacar o altar-mor remodelado por Ernesto Korrodi (1950-1960).
Classificação da antiga Igreja e Convento de Santo Agostinho
 
A antiga Igreja e convento de Santo Agostinho em Leiria encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público.