Padrão do Salado

Photo 1
Photo 1
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
Localiza-se em frente à Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, na freguesia de Oliveira do Castelo, no Centro Histórico de Guimarães, no distrito de Braga, Noroeste de Portugal
 
A Batalha do Salado foi travada a 30 de outubro de 1340 entre cristãos e mouros junto da ribeira do Salado, na província de Cádiz (sul de Espanha).

Em 29 de outubro, reunido o conselho de guerra foi decidido que Afonso XI de Castela combateria o rei de Marrocos, e Afonso IV de Portugal enfrentaria o de Granada.

Afonso XI designou D. João Manuel para a vanguarda das hostes castelhanas onde iam também D. João Nunes de Lara que era o novo mestre de Sant''''''''Iago, irmão de Leonor de Gusmão.

Do lado de D. Afonso IV estiveram o arcebispo de Braga Gonçalo Pereira, o prior do Crato, o mestre da Ordem de Avis e muitos denotados cavaleiros.

D. Afonso IV à frente dos seus intrépidos cavaleiros conseguiu romper a formidável barreira inimiga e espalhar a desordem precursora do pânico e da derrota entre os mouros granadinos.

Numa fuga desordenada, africanos e granadinos abandonaram a batalha largando tudo para salvar a vida.

O soberano participou nesta batalha em apoio ao genro Afonso XI de Castela auxiliando-o a defender-se de uma armada muçulmana.

O auxílio prestado por Portugal foi bastante importante para decidir a vitória dos exércitos cristãos deixou D. Afonso IV na História com o cognome de “o Bravo” em consequência da sua ação na Batalha do Salado.

Este feito de D. Afonso IV motivou uma série de construções comemorativas em várias partes do reino, sendo esta de Guimarães uma das mais célebres.

O Padrão do Salado remonta ao século XIV mandado construir pelo Rei Afonso IV de Portugal que comemorava a vitória da "Batalha de Salado" ocorrida em 1340.

O Rei esteve nessa batalha para ajudar o genro Afonso XI de Castela a proteger-se de uma investida dos muçulmanos vindos do reino de Granada e do Norte de África.

O Padrão foi erguido no século XIV por iniciativa de Afonso IV de Portugal para comemorar a vitória na Batalha de Salado em 1340.

O Padrão do Salado é uma obra gótica composta de um espaço quadrangular abobadado, aberto nas suas quatro faces através de arcadas quebradas assentes em colunas adossadas a partir das quais partem as nervuras da abóbada. O Padrão é um Alpendre de arquitetura gótica contendo arcos e foi erguido no reinado de D. Afonso IV para comemorar a Batalha do Salado travada em 1340.

O alpendre é constituído por quatro arcos quebrados lavrados assentes em colunas com capitéis lavrados, encimados pelo escudo Real, e encontra-se um cruzeiro que representa Cristo Crucificado de um lado e a Virgem Mãe sob baldaquino do outro.

O Padrão do Salado é um dos ícones da cidade de Guimarães e está intimamente ligado à história da cidade e da história da Península Ibérica, marcando a vitória da batalha de Salado.

No ano de 1342 o cruzeiro foi oferecido por Pero Esteves que era um negociante vimaranense residente em Lisboa.

O padrão da vitória do Salado foi sucessivamente reformado ao longo dos tempos datando da década de 70 e do século XX a última grande campanha de restauro em que foram substituídas as grades e se procedeu à consolidação das estruturas.
A Classificação do Padrão do Salado
 
O Padrão do Salado encontra-se classificado como Monumento Nacional desde 1910.