Igreja de Nossa Senhora da Oliveira

Photo 1
Photo 1
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
Localiza-se no Centro Histórico de Guimarães, na freguesia de Oliveira do Castelo, no Centro Histórico de Guimarães, no distrito de Braga, Norte de Portugal
 
A Igreja de Nossa Senhora da Oliveira é um dos mais significativos exemplares de arquitectura gótica no norte do país.

A ocupação do local tem origem num mosteiro pré-românico fundado por Mumadona Dias em 949, e para a proteção deste mosteiro foi erguida uma fortificação que antecedeu o atual Castelo de Guimarães.

As origens da Insigne e Real Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira remontam ao mosteiro dedicado ao Salvador do Mundo, à Virgem de Santa Maria e aos Santos Apóstolos, fundado pela condessa Mumadona Dias cerca de 950.

No início do século XII, este mosteiro daria lugar à Colegiada de Santa Maria de Guimarães, uma das mais importantes e ricas instituições religiosas do país na Baixa Idade Média.

Uma quadra do claustro do século XII conserva-se mas bastante modificada durante o período Manuelino, onde são visíveis alguns capitéis, a frontaria da sala do capítulo, um capitel românico datado da segunda metade do século XII e proveniente do portal principal da igreja revela uma iconografia tipicamente beneditina alusiva ao confronto entre o bem e o mal.

No século XIV a Colegiada tornou-se um importante centro de peregrinação em função da veneração da imagem de Santa Maria e que seria objeto de devoção por parte de João I de Portugal na véspera da batalha de Aljubarrota.

A invocação de Nossa Senhora da Oliveira prevalece após 1342 com o reverdecimento de uma oliveira na praça fronteira.

No ano de 1387, como cumprimento de um voto a Santa Maria, o próprio soberano financia a remodelação do edifício.

As obras estariam concluídas na sua quase totalidade em 1401 tendo cessado os trabalhos em 1413.

A igreja possui uma estrutura planimétrica simples de três naves com três tramos, com transepto saliente solução comum no gótico mendicante, a janela do nível superior da fachada de grandes dimensões é organizada como um retábulo constitui um dos melhores programas iconográficos góticos em Portugal.

A Igreja é integralmente dedicada à genealogia da Virgem composta por uma árvore de Jessé e a Anunciação da mensagem mariana.

O templo da época gótica é ainda visível parte das asnas da cobertura das naves decoradas com painéis de pinturas com iconografia heráldica e bestiária.

O projeto tem autoria de João Garcia de Toledo que foi arquiteto da corte e ligado às principais obras do reinado de Fernando I de Portugal que se manteve no cargo após a crise de 1383-85.

Na época moderna o edifício sofreu várias alterações e remodelações: a nova capela-mor data do reinado de Pedro II de Portugal e é bastante mais profunda que a original.

O interior foi revestido com talha dourada cuja autoria é atribuída a Pedro Alexandrino de Carvalho.

A Igreja de Nossa Senhora da Oliveira marca o final de uma fase do gótico nacional, sendo as décadas seguintes marcadas pela enorme influência de gosto Inglês que o Mosteiro da Batalha iria exercer em todo o território.

A edificação atual evidencia elementos de diversas épocas a reconstrução gótica por D. João I, a torre da igreja de características manuelinas (1513-1515), a capela-mor arquitetura clássica reedificada no séc. XVII por D. Pedro II, os estuques das capelas maior e colaterais são referências da reforma neoclássica iniciada em 1830, a última intervenção pretendeu deixar à vista o granito das paredes e as colunas de origem medieval (sec. XX).
A Classificação Igreja de Nossa Senhora da Oliveira
 
A Igreja de Nossa Senhora da Oliveira fica no Centro Histórico de Guimarães e encontra-se classificada como Monumento Nacional desde 1910.