Home > covilhã 

Covilhã

Photo 1
Photo 1
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
A Covilhã é uma cidade portuguesa pertencente ao distrito de Castelo Branco, na província da Beira Baixa, região estatística do Centro e sub-região das Beiras e Serra da Estrela
 
A cidade da Covilhã e a porta da Serra da Estrela e tem 36 356 habitantes no seu perímetro urbano formado por cinco freguesias: Covilhã e Canhoso, Teixoso e Sarzedo, Cantar-Galo e Vila do Carvalho, Boidobra e Tortosendo.

A cidade é sede do município da Covilhã com 555,60 km2 de área e 51 797 habitantes (2011), subdividido em 21 freguesias, a cidade da Covilhã é a terra da indústria da lã, berço de descobridores de quinhentos e atualmente uma cidade com Universidade pública.

O município é limitado a norte por Seia e Manteigas, a nordeste pela Guarda, a leste por Belmonte, a sul pelo Fundão e a oeste por Pampilhosa da Serra e Arganil.

D. Sancho I mandou erguer as muralhas do seu primitivo castelo, que em 1186 concedeu foral de vila à Covilhã e mais tarde foi D. Dinis que mandou construir as muralhas do admirável bairro medieval das Portas do Sol.

A expansão para além-mar iniciou-se com a conquista de Ceuta em 1415 Frei Diogo Alves da Cunha encontra-se sepultado na Igreja da Conceição participaram do acontecimento.

A presença de covilhanenses prolonga-se com Pêro da Covilhã (primeiro português a pisar terras de Moçambique e que enviou notícias a D. João II sobre o modo de atingir os locais onde se produziam as especiarias, preparando o Caminho Marítimo para a Índia) João Ramalho, Fernão Penteado e outros.

O Frei Heitor Pinto, um dos primeiros portugueses a defender publicamente a identidade portuguesa, a sua obra literária está expressa na obra "Imagem da Vida Cristã".

A Covilhã foi elevada à condição de cidade a 20 de Outubro de 1870 pelo rei D. Luís I, por ser uma das villas mais importantes do reino pela sua população e riqueza.

A Covilhã primeiro como manufactura, depois indústria é um dos principais centros europeus de produção de lanifícios, onde se localizam as únicas pistas de esqui portuguesas e às quais se acede percorrendo espantosas paisagens de montanha.

As grandes atrações da Cidade da Covilhã são: Praça do Município, Covilhã (Estátua de Pêro da Covilhã, D. Luís, conjunto de colunas Aviz), Escultura de homenagem à Mãe (Avenida Frei Heitor Pinto, Covilhã), Estátua do Farrapeiro (na rotunda no sentido da entrada via Fundão), Estátua de Campos Melo (Rua Cidade do Fundão, Covilhã), O Monumento ao Soldado Desconhecido (Largo 5 de Outubro, Covilhã), Jardim Monumento à Nossa Senhora da Conceição, Museu dos Lanifícios, Museu do Queijo, Ponte da Ribeira da Carpinteira, Museu de Arte Sacra, Igreja de Nossa Senhora da Conceição - São Francisco (Largo da Infantaria, Covilhã), Igreja de Santa Maria Maior (Rua da Sra. da Paciência, Covilhã), Jardim do Lago (Alameda da Europa, Covilhã), Miradouro da Varanda dos Carqueijais, Miradouro Portas do Sol, Tinturaria - Galeria de Exposições (R. Morais do Convento, Covilhã) e Jardim Público Covilhã (Av. Frei Heitor Pinto, Covilhã).