Quinta das Cerejeiras

Photo 1
Photo 1
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
Localiza-se na Vila do Bombarral, Distrito de Leiria, Centro de Portugal
 
Na Quinta das Cerejeiras encontra pomares de pêra Rocha, a partir das suas vinhas a Quinta das Cerejeiras produz a Reserva, D.O.C. Óbidos uma das mais prestigiadas e antigas marcas portuguesas ainda em comercialização.

As vinhas da Quinta das Cerejeiras estão plantadas em encostas suaves, solo argiloso-arenoso e expostas a sul.

As castas destas vinhas são: Castas Brancas – Arinto, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Fernão Pires, Castas Tintas – Castelão, Touriga Nacional, Aragonez e Syrah.

Na Quinta das Cerejeiras e no centro do Bombarral pode ver-se a casa onde viveu Abel Pereira da Fonseca, fundador desta empresa.

O projecto pelo arquitecto Norte Júnior e ex-libris desta villa marca uma época áurea da arquitectura portuguesa da primeira metade do séc. XX.

Nesta Quinta se encontra a Capela da Madre de Deus que remonta ao século XVI tendo as paredes e abóbada da capela mor forradas por azulejos do século XVII.

Apesar de ser propriedade particular foi elevada à categoria de Igreja Matriz da Vila do Bombarral, após incêndio que consumiu a anterior Igreja, e assim se mantendo cerca de 40 anos por cedência da família.

O visitante pode ver a adega onde ainda hoje se podem ver os tonéis de carvalho, a balança de pesagem de cascos, vários objetos e equipamentos antigos ligados à produção de vinho e que constituem o seu núcleo museológico.

Na Quinta de S. Francisco, localizada no Outeiro da Cabeça, no sopé da Serra de Montejunto tendo vinhas nos Concelhos do Cadaval, Torres Vedras e Bombarral é onde se encontra a maior área de vinha da Companhia Agrícola do Sanguinhal e e nestas adegas que são produzidos e engarrafados todos os vinhos da empresa.

Nas suas vinhas nasce entre outros o Quinta de S. Francisco DOC Óbidos, o DOC Óbidos mais premiado de sempre.

As vinhas da Quinta de S. Francisco estão plantadas em encostas declivosas de solo franco-argiloso, muito bem expostas a nascente e sul.

As castas brancas são Arinto, Alvarinho e Fernão Pires e as tintas Castelão, Touriga Nacional, Touriga Franca, Syrah, Aragonez, Petit Verdot, Calladoc e Cabernet Sauvignon.

Aqui, as uvas atingem um elevado grau de maturação o que permite a obtenção de vinhos licorosos de grande qualidade.