Paços do Concelho

Photo 1
Photo 2
Photo 1
Photo 2
Todas as fotografias / imagens são fornecidas apenas para orientação.
Localiza-se Praça João de Deus Ramos, cidade e concelho de Alcobaça, Distrito de Leiria, Centro de Portugal
 
O Palacete do Pena - Paços do Concelho é de influência brasileira, foi mandado construir em 1890 por Francisco Oriol Pena, de gosto burguês com sabor romântico como outras casas designadas por “Casas dos Brasileiros”.

Os proprietários enriquecidos no Brasil trouxeram um gosto de lá importado, a inclinação das águas dos telhados denuncia essa influência dado ser superior à necessária para o clima português.

Francisco do Pena ao imigrar para o Brasil, onde fez fortuna, regressou depois a Portugal e edificou o Palacete Pena com influências no gosto trazidas da sua passagem pelo Brasil.

O Palacete Pena foi projectado por um arquitecto suíço e com as características muito próximas do estilo neo-romântico.

No edifício é evidente a ostentação, a grandeza e a verticalidade dos telhados usados nos países onde a neve é bastante abundante.

O casamento de Francisco Pena com D. Maria Nazaré Rio não gerou descendência o que motivou após a morte do proprietário a respectiva propriedade foi vendido à Câmara Municipal de Alcobaça, passando o edifício a albergar os Paços do Concelho de Alcobaça.

O Palacete do Pena é um excelente exemplar da arquitectura romântica em Alcobaça e pode ser contemplado em conjunto com outros chalets e palacetes como o Challet Fonte Nova, Chalet Rino, Palacete Araújo Guimarães, Palacete Bernardino Lopes de Oliveira e o Palacete Cova da Onça.

O Palacete do Pena possuía em redor da casa um parque verdejante, árvores centenárias, carvalhos arbustivos, palmeiras, candeeiros, bancos de jardim, arbustos com flores coloridas, hortênsias e flores azuis.

Um lugar para caminhar, descansar tipo jardim romântico perpétua em seu estilo o traçado livre com curvas e caminhos que geralmente chegam a algum local de descanso.

Uma área sombreada com bancos de jardim, um local de descanso, ainda hoje conserva aquele ar tão calmo do passado contrastando com o ruidoso ambiente que rodeia as cidades metropolitanas.